jusbrasil.com.br
16 de Setembro de 2019

A homofobia de Levy Fidelix doeu tanto quanto o silêncio dos candidatos

Leonardo Sakamoto

A. K., Estudante
Publicado por A. K.
há 5 anos

Um dos pontos mais baixos da campanha presidencial foi protagonizado por Levy Fidelix (PRTB), na madrugada desta segunda (29), durante o debate dos presidenciáveis organizado pela TV Record.

Questionado por Luciana Genro sobre direitos homoafetivos, ele soltou um rosário de impropérios que fariam corar até os mais fundamentalistas dos parlamentares religiosos. Começou afirmando que “dois iguais não fazem filho'', que “aparelho excretor não reproduz'' e ainda teve tempo para comparar homossexuais a quem pratica o crime de pedofilia. Ao final, conclamou: “Vamos ter coragem! Nós somos maioria! Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los''.

Algumas considerações:

1) Levy Fidelix era visto por parte da população como um personagem caricato e por parte dos jornalistas como um aproveitador à frente de uma legenda de aluguel. Após esse discurso incitador de violência contra homossexuais, poderia muito bem entrar na categoria de criminoso.

2) Nas redes sociais, parte dos leitores apoiaram Levy Fidelix “por ele ter a coragem de dizer o que pensa''. Isso não é coragem, é idiotice. Se ele pensa aquele pacote de sandices, que guarde para si e não propague isso em uma rede nacional de TV, concessão pública, sendo visto por milhões de pessoas, difundindo e promovendo o ódio contra pessoas.

3) Discordo de quem afirma que é melhor que isso seja dito abertamente para mostrar o que ocorre no subterrâneo da sociedade. Porque isso não está no subterrâneo. Esse esgoto corre a céu aberto, dia a pós dia, dito e repetido exaustivamente, justificando atos de violência. Acham que os indignados com a ceninha feita por Levy no debate são a maioria da população? Sabem de nada, inocentes! A maioria achou graça no que ele falou ou mesmo concordou com ele. Revelar o quê, portanto? O espelho no qual a maioria já se vê diariamente?

4) Fosse uma eleição decente, com candidatos que realmente estão preocupados com a dignidade das pessoas, todos e todas iriam repudiar veementemente a fala homofóbica de Levy ao final do debate. Mas é cada um por si em um grande “vamos usar nosso tempo precioso para tentar angariar alguns votos na fala final''. Ou, pior: “melhor não falar nada para não perder os votos dos malucos que concordam com o que ele disse''.

Pessoas como Levy Fidelix deveriam também ser responsabilizadas por conta de atos bárbaros de homofobia que pipocam aqui e ali – de ataques com lâmpadas fluorescentes na Avenida Paulista a espancamentos no interior do Nordeste. Pessoas como ele dizem que não incitam a violência. Não é a mão delas que segura a faca ou o revólver, mas é a sobreposicão de seus discursos ao longo do tempo que distorce o mundo e torna o ato de esfaquear, atirar e atacar banais. Ou, melhor dizendo, “necessários'', quase um pedido do céu. São pessoas como ele que alimentam lentamente a intolerância, que depois será consumida pelos malucos que fazem o serviço sujo.

Nessas horas, a gente percebe a falta que faz uma lei contra a homofobia.


Fonte: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/

745 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Ao autor: Que homofobia? Aonde você viu homofobia? Eu vi a opinião sincera de um cidadão que não é a favor do homossexualismo.

Agora falar que você não concordar com algo virou crime? Você percebe que sua opinião esta em um site jurídico?

Ele deu a OPINIÃO dele, e eu não preciso concordar com o que ele diz para DEFENDER O DIREITO DELE DAR OPINIÃO.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - e livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Ele está no direito dele, discorde, mas não condene alguém que está exercendo um direito constitucional. continuar lendo

Ele cometeu crime sim! Fez apologia ao crime, falou em enfrentamento da minoria LGBTTT, incitou o ódio em plena rede nacional. Perceba, o direito constitucional de livre expressão não pode estar a serviço da incitação ao ódio e violência. Temos um choque de princípios a ser resolvido pelos critérios de razoabilidade e proporcionalidade. Conforme você mesmo disse, todos somos iguais, todos devemos ser respeitados. E o direito dele de emitir a sua opinião homofóbica e segregadora em uma rede nacional (que funciona por meio de uma concessão pública e que, inevitavelmente, serve como veículo propulsor de ideias e formador de opinião) termina onde começa o direito das minorias de serem respeitadas e resguardadas de qualquer fato ou ato que as depreciem e/ou coloquem em situação de risco. continuar lendo

E será que os gays não cometem crime quando incitam outros gays todos os dias a enfrentaram os heterossexuais? Quando acham que todos devem pensar da mesma forma que eles? Então Ana Julia, acho que o que está acontecendo hoje é que esses indivíduos se encostaram na palavra homofobia e usam esta como escudo para qualquer coisa. O fato é que existe um padrão na sociedade. Um casal é feito de um homem e uma mulher, e não é porque a sociedade quis, é a natureza que funciona assim. Reprodução é feita com sexos opostos. Agora, nada impede que haja "duplas" conjugais. Se alguém quer ter uma relação homossexual, tenha! Sem problemas. Mas não exija por exemplo, que a igreja católica legalize sua união, pois aí você esta querendo mudar uma doutrina religiosa, ou vai querer dizer que o padre é homofobico? Entendem a questão? Outra coisa é querer incentivar crianças ou outros indivíduos a serem gays, como vem fazendo massivamente a rede globo. Do mesmo jeito que você que é gay considera ser gay uma atitude normal, o hetero também tem sua opinião quanto ao fato de ser hetero. Então porque você teria privilégios em publicar uma cartilha no ensino fundamental para incentivar a homosexualidade e o hetero não poder fazer o mesmo? Os gays estão defendendo sua bandeira de uma forma errada, de forma que está atacando o grupo hetero, e com isso perdem toda a razão. Seja gay, sem problemas, mas entendam que em uma vida social existem grupos. Nunca haverá unanimidade. Não há apenas samba, ou rock, um grupo não curte o outro geralmente, mas ambos se respeitam. Então lutem pelo que realmente esta errado. Alguém foi agredido pelo fato de ser gay? Então essa pessoa foi vítima de agressão, ponto. Não de homofobia. Não queira uma lei escrita duas vezes. Isso faz com que voces mesmos sejam cada vez mais exclusivos, e a idéia é que sejam todos uma sociedade só não é mesmo? continuar lendo

Não vi incitação à violência. Ele não disse "tomemos nossas armas e extingamos da sociedade os homossexuais". Do contrário toda passeata gay seria também incitar o ódio contra os heterossexuais, pois mobiliza um público ligado por um sentimento em comum a lutar contra os demais em busca de seus direitos. continuar lendo

Para LGBT pode ter sido crime, agora cadê o direito de expressão? A constituição é menor do que essa lei? Não vi apologia ao crime quando ele disse "Somos maioria" cabe cada um julgar e interpretar da melhor forma que achar, no meu entendimento ele simplesmente ta se referindo ao direito de expressão, filosófico e religioso.
Vejo muitos jornalistas dizerem "Temos que meter o PAW nesses políticos" eles estão fazendo apologia ao crime? Claro que não, eles estão apenas defendendo um direito seus constituído na lei. continuar lendo

"somos a maioria" e "vamos enfrentar a minoria".
Não preciso nem terminar o raciocínio. "Opinião", essa aí da CF que você defendeu, é uma coisa bem diferente, Luiz. continuar lendo

Agora querem crucificar o cidadão por falar o que pensa. Esses, "movimentos sociais", querem levar ou já estão levando alguma vantagem que ainda não foi descoberta. Cada um com o seu estilo de vida. E nós temos sim o direito de concordar ou discordar. Acho que estão querendo Cubanizar ou Venezuelar o Brasil. continuar lendo

Ana Júlia Silva Porto, SE o homossexual se der ao respeito, terá o que quer.
Mas alguns infiltrados baderneiros que não representam a causa LGBT queimam todo o movimento.
Veja que Israel, um país JUDEU, onde há um Livro Sagrado onde é demandado matar a pedradas quem se deitar com alguém de mesmo sexo, tem uma das maiores passeatas. PORQUE???
Simples.
Que sabe pedir, tem o que quer.
Aqui no Brasil, recorrem a baixaria, a imoralidade, ao extremismo.
Vão ficar sem NADA até aprender a conviver. continuar lendo

Prezado Luiz Andrei,
o comentário do candidato foi inadequado, incompatível com o de quem almeja exercer a função de Presidente da República e, sim, pode eventualmente ter praticado ilícito.
Quanto à homofobia, a sua colocação foi de fato homofóbica.
Ao menos é o que diz o Dicionário:
ho·mo·fo·bi·a
(homo- + -fobia)
substantivo feminino
Repulsa ou preconceito contra a homossexualidade ou os homossexuais.
"homofobia", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/homofobia [consultado em 30-09-2014]. continuar lendo

Ele pode até defender a pedofilia. Ele tem o direito de livre expressão do pensamento. Mas isto não é uma lacuna da lei. Se com o direito de livre pensamento, cometeu um crime, vai ser julgado por isto e sem atenuantes. continuar lendo

Faço minhas as palavras de Luiz Flávio Gomes: "A Constituição brasileira assegura a todos a liberdade de crença e de religião e ainda a liberdade de expressão do pensamento (art. 5º). Ao mesmo, a mesma Constituição diz que ninguém pode ser discriminado em razão da raça, cor, origem, sexo (orientação sexual), procedência, crença religiosa etc. Quando dois direitos constitucionais colidem, resolve-se cada caso pela ponderação dos fatos e valores em jogo (aqui entra o princípio da proporcionalidade). No caso de Levy Fidelix, quais devem preponderar? Os direitos do primeiro grupo ou os do segundo?" Luiz Flávio Gomes, Jurista e Professor. continuar lendo

Existe alguma lei para dar direitos à assistência médica e jurídica de qualidade para o cidadão que faz parte de uma maioria bastante conhecida?
Essa maioria é composta por mais de 70% da população. Sãos os pobres e miseráveis, que são vitimas de injustiças e morrem nas filas dos hospitais.Esse assunto não é discutido, nem é citado nas campanhas. Assunto proibido.
Tudo é tratado genericamente nas campanhas dos candidatos. "Vou cuidar da Saúde, da Educação e da Segurança"
Agora virou moda, o candidato se apresenta em um auditório onde são feitas perguntas bem selecionadas,por pessoas que acho que são atores contratados, e o candidato já tem um resposta safada decorada. Isso é democracia????? Isso é um teatro da pior qualidade. Como 70% da população não tem discernimento, essas pessoas vão se perpetuar no poder. continuar lendo

Duas Palavras... Fato inquestionável!!! continuar lendo

Parabéns pela sua resposta embasada, inteligente e respeitosa.
Agora discordar de homossexual é homofobia.
Se deixarmos, daqui pouco tempo adiante os heterossexuais terão que se denominarem homossexuais para não serem processados por homofobia. continuar lendo

Eu não vi crime nenhum. Eu não sou obrigada a gostar e aceitar o que todos dizem que é bom ou certo. Eu tenho direito à minha opinião. E desde quando discordar é incitar ou fazer apologia ao crime? E tem mais, esse grupos têm o hábito de ofenderem também aos meus princípios, quando fazem passeatas agredindo com palavras chulas, ou palavrões, desenhos e etc. E desde quando eles são minoria? O respeito é obrigatório de todos os lados. E respeitar não é concordar. continuar lendo

Mais triste é saber que existem pessoas que não conseguem enxergar o alcance de certas "opiniões". Meu caro, até o seu modo de escrever deixa transparecer a sua concordância com o que disse Fidelix, Para mim, pessoas que tem essa necessidade de opinar em alto e bom tom suas opiniões preconceituosas é porque tem algum problema em relação ao assunto, e me parece que tentam disfarçar, reafirmando e reafirmando, tentando se ouvir e acreditar.... continuar lendo

Concordo Luiz Adriano, a questão é que o homossexualismo quer se promover a custo de achar que tudo e todos estão contra eles, aquele negócio de baixa auto estima. É que nem com os negros, veêm racismo em tudo, até quando não existem. O Levy se posiciona como qualquer ser humano amparado pela constituição exprime sua insatisfação, pois tem o direito disso, além de serem poucos, querem amordaçar o país, pregando que ser homossexual é normal, mas não é, Deus criou o homem e a mulher, somente isso! Pênis e Vagina para uso na relação sexual e reprodução. Deus ama a criatura, mas abomina o pecado (homossexualismo) e é da mesma forma que os cristãos entendem, amar o próximo, não o pecado. continuar lendo

prezado. Direito de opinião é uma coisa. Estimular a violência é outra. "que eles se tratem emocionalmente e sexualmente, mas que longe de nós". isso é opinião? Estimular a exclusão é opinião? Estimular o preconceito é opinião? Infelizmente não há ainda, como lembrado por sua ilustre opinião, a criminalização da homofobia. Quer dizer então que, para vossa Excelência, um candidato poderia defender em rede nacional que não gosta de negro, não os aprova e os quer distante, tendo a sociedade que enfrenta-los? Opinião não é um princípio absoluto "jovem", Acredite! Acho que o Sr. faltou a aula de direitos e garantias fundamentais, cujo pauta-se a aplicabilidade dos mesmos frente à igualdade substancial (tratar os iguais como iguais, e os demais na medida de sua desigualdade. Possivelmente não estudou teoria da constituição, momento em que deveria ter aprendido que uma democracia é construída pela vontade da maioria respeitando o direito das minorias. Acredito também que não tenha lido, ou possa ter esquecido, do teor do Art. 5 parágrafo segundo da lei maior. Muito fraco seu posicionamento. Uma regra constitucional não é absoluta. O ordenamento jurídico é composto por princípios e regras. Quando em conflito, faz-se a ponderação. Faltastes também a aula de teoria do direito? continuar lendo

Eu não entendo como uma pessoa se acha no direito de concordar ou não com a homossexualidade alheia. Ninguém vai à TV dizer o que você deve fazer ou não na cama com sua mulher, ou no escritório com a secretária/amante, ou na rua com a prostituta.
Dar a opinião é uma coisa. Chamar a maioria para enfrentar a minoria é outra. É crime. Não é direito constitucional incitar o ódio.
Torço para que cada um de vocês, homofóbicos, cheios de liberdade constitucional, tenham um filho gay, que precise de direitos e sintam na própria pelé o que é homofobia. continuar lendo

Triste o comentário do colega. Podemos, então, considerar que músicas sobre estupro - sexo surpresa, são "expressão de opinião"? Como bom intérprete do direito (ciência que evolui em consonância com a sociedade), o advogado, nessas horas, deve emitir opinião imparcial. Não vamos justificar a atitude do candidato levando em consideração opiniões próprias, ok? O discurso do candidato incita e prega a intolerância de forma tão cristalina que não é preciso intelecto para perceber. continuar lendo

Concordo com a maioria das opiniões de que não há nada de mais em expor sua opinião. Devemos nos acostumar a ouvir coisas que não gostamos desde que não seja ofensivo. A luta dos homossexuais se resume em resolver seus problemas, seja ele cultural ou histórico ou ambos. No entanto, uma grande maioria se preocupa com a educação dos filhos, um emprego melhor e, em resumo, condições que garantam um futuro saudável e equilibrado para sua família e não com questões menores para uma minoria. Quanto a opinião de Ana Julia S. Porto ao dizer que uma emissora de televisão é formadora de opinião só vem reforçar a falta de cultura e educação do povo em geral, pois se este tivesse uma escola melhor não seriam ludibriados por esses canais de baixa qualidade. continuar lendo

Luiz Adriano,

Dar uma opinião é totalmente diferente de provocar a segregação ou incitar a indiferença. Obviamente que todos têm o direito de dizer o que bem entendem. É possível alguém dizer que não gosta de gays ou que não é a favor do casamento gay, por exemplo. Tanto é possível que essa questão, inclusive, já passou pelo STF.

Diferentemente disso, por outro lado, é dizer que "temos que acabar com essa minoria", ou "vamos para cima deles" ou que "eles precisam de tratamento psicológico". Isso foge, e muito, do seu tão querido direito de expressão.

Eu posso dizer que não gosto de negros, até porque, não sou obrigado a ter a mesma opinião das pessoas em geral (opinião que não é a minha, obviamente). Mas eu não posso dizer que "quero os negros bem longe daqui" ou que "precisamos acabar com os negros, pois somos maioria". Percebe a grande diferença entre as situações?

A "coragem" que ele teve, creio, foi em ser o primeiro candidato a enfrentar o assunto sobre a homossexualidade (que já está mais do que batido, diga-se). Ele poderia, muito bem, ter simplesmente dito que não concorda com a união de pessoas do mesmo sexo e que é a favor apenas da família tradicional entre homem e mulher (o candidato Eymael, salvo engano, já disse isso expressamente). Agora, ultrapassar isso e dizer que os gays são minoria e que precisamos acabar com eles!? Desculpe-me, mas isso não é liberdade de expressão nem aqui e nem em nenhum lugar do mundo!

O Direito está aí para defender a todos e não apenas quem se diz ser "maioria". As minorias também são (e precisam) ser protegidas, como os negros, os índios, os PNE, a mulher, o idoso, a criança e a comunidade LGBT.

Por que é que ninguém diz ser contra deficientes mentais ou idosos? Eles também são minorias. continuar lendo

Que bela colocação! Em nenhum momento o Fidelix praticou ou incitou a homofobia, realmente, pois se aparelho excretor reproduz vida, não estamos sabendo então, ele só falou uma verdade.

Fico feliz de ver como a maioria recebeu a opinião dele com respeito, até pq ele foi incitado a dar a opinião dele pela Genro. Como bem disseram, se a coisa continuar assim, só tende a piorar, pois sem lei, falar o que se pensa já é crime, com lei então vai resultar o que? desse jeito vão ter q criar leis protegendo os heteros tbm.....como se lei protejesse alguma coisa, o negócio começa pela educação, se todos tiverem uma boa educação em casa e na escola, vao amar os homossexuais como seres humanos, respeitando-os, independentemente de concordarem ou não com a sua prática. continuar lendo

Excelente comentário.

Daqui a pouco o partido LGBT vai querer dar um "golpe militar legal" se é que me entende.

Daqui a pouco o Jean Willis vai se candidatar a ser Presidente (a), o Leão Lobo de vice orientados pela Marta Suplicy. Maravilha!!!!!! continuar lendo

Recorri à internet e revi o discurso dele.

Ele citou a atitude do papa com o padre pedófilo em relação ao bom caminho familiar. Ele falava da importância da religiosidade "para encontrar um bom caminho familiar". Está expresso no teor da fala. Ele não comparou uma coisa com outra. Vamos parar com teoria da conspiração, por favor.

Ué... se as pessoas forem preferindo ter relações homossexuais os filhos se reproduzirão onde? Ele imaginou alto, nesse caso. Dificilmente a maioria da população será homossexual. A fala dele nada tem a ver com dizer que homossexuais em relação sexual tradicional geram filhos homossexuais.

Não vi ofensa alguma. Nem o exagero como estão colocando a fala dele.

Luciana começa falando sobre a violência contra a comunidade LGBT:
"Por que as pessoas que defendem tanto a família se recusam a reconhecer como família um casal do mesmo sexo?"

Ele respondeu, ao dizer: "Pelo que vi da vida, dois iguais não fazem filhos." Ele falou em gerar um filho à partir de duas mulheres ou dois homens. Alguém já viu o contrário?

"Aparelho excretor não reproduz." Reproduz? O que há de ofensivo nisso? Ou seria melhor chamar pelo nome popular?

"Não se pode escorar uma minoria à maioria do povo brasileiro." Deixar de falar porque tem medo de perder votos é hipocrisia.

Ele disse que não vai estimular a união homo afetiva. Já é crime dizer que não apoia e nem estimula a união homo afetiva? Não é expressando essa opinião que se vai estimular a violência contra a comunidade LGBT

A comunidade que apoia a união homo afetiva não está interessada em compreender o pensamento de quem é contra. Está mais interessada em impor o pensamento à favor e ai de quem for contra... continuar lendo

Concordo com você Luiz Adriano. Levy Fidelix foi corajoso, o autor do texto tenta desqualificá-lo e até mesmo o culpar por crime de incitação ao crime.

O Autor ainda erradamente afirma que Levy é inocente (ingênuo) em se auto afirmar parte da maioria. Então o cidadão brasileiro não pode discordar da prática homossexual? se discordar é homofóbico ou incitador de crime?

A era da ditadura parece que está longe de acabar, registra-se que há gays, homossexuais ou lésbicas que são ótimas pessoas. Porém alguns ativistas tentam insistentemente obrigar as pessoas a aceitarem suas condições sexuais.

Tenho o direito de discordar sempre, a lei pode até aprovar o casamento Gay, mas não pode me obrigar a concordar com tal prática. Estou amparado por lei.

Não vejo o ministério público ou blogueiros de plantão se opor a protestos desrespeitosos de ativistas Gays. Eles difamam, agridem moralmente, atentam ao pudor e depois querem respeito. Viva á liberdade de expressão! continuar lendo

inteligentíssimo comentário....faço destas as minhas palavras....chega de hipocrisia.... continuar lendo

A liberdade de expressão é garantida pelo inciso IX do art. da CR, mas o pensamento do candidato Levy no sentido de excluir (ou não incluir) os direitos dos homossexuais do ordenamento jurídico colide com o princípio constitucional da igualdade, previsto no caput do mesmo dispositivo.

A Constituição deve ser interpretada como uma norma una e não egoisticamente, enfatizando os dispositivos que somente interessam o seu leitor, tal como usualmente ocorre com os textos bíblicos pelos cristãos.

Nesse sentido, como cidadão é até compreensível que o Levy externe o seu preconceito, tal como grupos do sul e sudeste defendem a proibição do êxodo nordestino às suas regiões ou neonazistas cultivem o ódio aos judeus ou adeptos da maconha lutem por sua legalização.

No entanto, como candidato à presidência, o Levy trilhou por caminhos tortuosos, não dignos de um representante de uma nação cujo pilar é a igualdade entre os seus cidadãos. continuar lendo

Dr, Luiz Adriano, o Sr. merece ser aplaudido de pé! Meu humilde parabéns! continuar lendo

Se preparem pois isto é só o começo do que está por vir... Pegaram a fala do Levy e deturparam ela toda.
Ele diz que precisa enfrentar é a ditadura gls que estão tentando impor na sociedade, mas a esquerda caviar tirou proveito disso e estão fazendo mais uma tempestade em copo d´água...
Ontem deram mais um passo em direção à ditadura, em breve seremos obrigados a ver nossos filhos doutrinados com essa política marxista e sem poder fazer nada... Estamos rumo ao IV Reich!!! continuar lendo

Ana Julia Porto, a senhorita que me desculpe, mas tu dizer que ele incitou o enfrentamento é demais, é além de vitimista, é irracional.

Não acredito que alguém que frequente um site do âmbito jurídico tenha tamanha escassez de interpretação de texto. Ou melhor, interpretação ou seguir o que manda a cartilha petista de distorcer as coisas para usá-las de forma desonesta contra quem proferiu?

É só isso mesmo que te digo, pois se não fosse um processo cabível eu te diria o que eu penso, umas verdades bem ditas para tu deixar de te fazer de coitadinha. continuar lendo

Parabéns pela opinião.
Imagina se eu expressar a minha opinião, vão querer me queimar vivo em praça pública. continuar lendo

“Vamos ter coragem! Nós somos maioria! Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los''.

Quem manifesta uma opinião de forma a incitar a violência ultrapassa a linha tênue do direito a liberdade de expressão.

Ademais, é só ler o caput do artigo 5º da Consituição da República.
Se todos são iguais perante a Lei qual a necessidade de um candidato a presidência em propor um enfrentamento às questões de liberdade sexual ? continuar lendo

Levi nao fez nada demais.
Ele fez o que pediram. Desceu o pau nos homossexuais.
onde esta o errro continuar lendo

Concordo com o Luiz. Os homossexuais são livres (e está 100% correto que seja) para fazer propaganda para a união de pessoas do mesmo sexo, mas quem é contra não pode dizer que é contra? É totalmente errado criminalizar o pensamento e a verbalização do mesmo. E, estou mal informado ou o casamento de pessoas do mesmo sexo já é reconhecido no Brasil faz algum tempo? Parece que os homossexuais querem mesmo é ser reconhecidos pelo Papa, que é representante de uma instituição privada da qual ninguém é obrigado a participar e nao tem nenhum valor na vida civil. E, por fim, eu sou gay, o que não me faz querer que quem pensa diferente de mim deve ter o "direto de ficar quieto". continuar lendo

Show de bola tua opinião, concordo com cada letra, não vi incitação nenhuma ao crime. Agora a palavra "homofobia" virou um escudo, qualquer coisa que se discorde em relação aos gays e você já é taxado de "homofóbico". Então vamos também criar regrinhas que valham para todas classes sociais, não apenas para os gays. continuar lendo

Concordo plenamente Luiz! continuar lendo

O Brasil possui tantos assuntos muito mais importantes à serem tratados, assuntos que se não tratados como prioridade afetaram, não só um grupo específico como o LGBT, mas toda sociedade brasileira! Vemos hoje uma crise econômica com a alta da inflação, o índice elevado de emissão poluentes no ar, a questão da segurança pública com inúmero crimes bárbaros ocorridos corriqueiramente, hospitais mal equipados com profissionais desmotivados, a falta de incentivo a EDUCAÇÃO, pois esses sim, são temas a serem abordados com relevância e atenção por todos nós brasileiros, sejamos heterossexuais ou homossexuais, negros ou brancos, católicos ou protestantes.
É muito desconfortável assistirmos um debate com presidenciáveis de nossa nação e nos depararmos com alguns candidatos com propostas tão irrelevantes – a vista das grandes preocupações atuais -, querendo se utilizar do pouco tempo - tendo em vista as inúmeras propostas de resolução às deficiências atuais do governo – para convencer o eleitor de que são verdadeiramente a melhor escolha, mas não, preferem trazer a questão da união homoafetiva, da legalização do aborto (sinceramente, para a sociedade atual brasileira serviria com pílula do dia seguinte), da legalização da maconha e etc.
Concordo com o posicionamento de Levy em relação a família, não por que sou “homofóbico” (termo engraçado até), mas por questões da própria natureza, porquê até onde eu sei, nenhum ser vivo se reproduz com outro do mesmo sexo, ou mesmo por questão de “vontade”. Tudo bem que ele se posicionou de maneira espontânea não mediando sua fala - o que se torna perigoso atualmente -, mas que não no sentido a agredir ou de ofender.
Retomando a questão do respeito, vamos concordar, trabalho na Avenida Paulista e presencio diariamente duplas de homens/mulheres em forma de mãos dadas como namorados – tudo bem até ai – mas também se beijando e se abraçando como se estivessem em casa, que até para um CASAL é constrangedor fazer isso em público, ainda mais, homens confrontando mulheres por estarem com um homem bonito, ou vice versa, elogiando homens heterossexuais. Isso eu falo porquê eu vejo! É UM ABSURDO FALARMOS EM RESPEITO, COM ESTA POSTURA DOS QUE QUEREM RESPEITO.
Enfim, acredito que ainda há jeito do Brasil de tornar um pais de referencia internacionalmente, por conta de sua economia, forma bem feita de governo, por seus avanços tecnológicos, mas principalmente, pela EDUCAÇÃO de seu povo, pois somente através dela que acabaremos com esses embates ideológicos. continuar lendo

Em nenhum momento o Levy Fidelix disse ser contra homossexuais. Disse que é contra a união legal entre homossexuais.
O que ocorre é que quem defende o LGBTT quer fazer em público o que deveriam fazer em local privado.
A lei penal pune quem pratica ato obsceno em lugar público, ou aberto ao público ou exposto ao público. Ato obsceno, portanto, é a ação que ofende o pudor público, é o ato indecente, que gera repulsa e atinge o sentimento de vergonha das pessoas comuns da maioria de uma sociedade. O conceito é mutável e varia de acordo com o tempo em que vivemos. A análise da obscenidade deve ser feita em consonância com o lugar e a época em que o ato foi cometido. É fruto de uma valoração cultural. Namorados que se beijam, se abraçam e se amassam nos corredores de uma faculdade, por exemplo, é um fato (hoje) rotineiro e não traz mais espanto dos observadores. Mas se praticado dentro da sala de aula não seria visto com a mesma naturalidade.
O que vemos hoje é querer tornar uma coisa que até então era atentado ao pudor por provocar repulsa em uma coisa normal, banal, rotineira. As novelas da Globo tem feito isso divulgando beijo homossexual dessa forma.
Em nosso sentir, para caracterizar o crime, não há necessidade de querer ofender a moralidade pública, o denominado dolo específico, basta a vontade livre e consciente do sujeito de praticar ato obsceno em público, aberto ou exposto ao público. O crime é considerado formal consumando-se com a prática do ato que ofende a moralidade pública, , independentemente de ofender as pessoas ou de ser por elas presenciado. Basta a possibilidade de ofensa ao pudor público. O delito não comporta tentativa. Ou o agente comete publicamente o ato obsceno e o crime se consuma ou não pratica e o fato é atípico. continuar lendo

Parabéns pelo comentário, é exatamente o que eu penso. Acho que REALÇAM qualquer que seja o menor cometário sobre o assunto, sinto que se a pessoa não concorda com o homossexualismo ele é um criminoso, não tenho qualquer problema contra a comunidade LGBT, mas acredito que as pessoas que discordam desse modo de vida devem ser respeitados no seu modo de pensar. continuar lendo

A torcedora do Grêmio também só estava expressando sua opinião. No entanto está sendo processada, teve sua casa queimada e apedrejada. Qual a diferença disso? Ambas as declarações são discriminatórias. Liberdade de expressão não isenta a responsabilidade do autor. continuar lendo

É mesmo Ana Carolina. Então me responda umas coisas:

- Qual o motivo plausível para termos projeto de lei que vise implementar cotas para professores gays ou LGBT em escolas? Por acaso o diploma superior deles vale menos que o dos héteros?

- Qual o motivo para quererem vagões de trem só para LGBT? Qual então o motivo de criminalizar a "homofobia"? (Algo que nem existe juridicamente falando?)

Isso é igualdade ou privilégio?

Qualquer argumento proferido por vocês é facilmente refutado, é aí que vocês enlouquecem... ahahahah continuar lendo

Eles querem que se transforme em crime para pedir indenização por danos morais. continuar lendo

Falou tudo e mais um pouco Luiz....tem minha admiração de cidadão e colega.
forte abraço continuar lendo

concordo com você!! continuar lendo

cientificamente se alguém me comprovar que aquele homem disse uma inverdade, que traga a tona, por que penso como ele,agora se uma classe de pessoa de resume em ter coito pelo órgão excretor ,acho absurdo ,por que nem as pessoas do órgão feminino se resume em sua genitália ,e se falando em direitos inerentes a todo cidadão brasileiro, desconheço na constituição algum artigo discriminatório ou frase excluindo algum grupo, cada um ama o que quer um carro,pedra, cachorro, gente, coisa,et o que for,porem não se pode impor isso para maioria ou então não estaremos mais em uma democracia a lei e para ser obedecida e não temida e que seja para todos assim como prevê a constituição. Constituição brasileira de 1988
Art. A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
V - o pluralismo político
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, liberdade, igualdade, segurança e a propriedade, nos termos seguintes:
IV - e livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
IX - e livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença
Art. 220 A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística. continuar lendo

concordo plenamente não vi nada demais no comentario e nem apologia ao crime continuar lendo

Lilian Borges, a "minoria" LGBT enfrenta a "maioria" todos os dias, por que não pode acontecer o contrário? Fui ativista LGBT por 16 anos. Quando houve mudança de comportamento saindo da luta pela igualdade e partindo para a luta pela "supremacia", eu saí. "Minorias" NÃO são seres humanos com poderes especiais, são simplesmente seres humanos. A "exposição de intimidade" e privacidade que ocorre, muitas vezes, poderia TAMBÉM ser enquadrada em diversos tipos penais considerados contravenções ou crimes. Pensando pela lógica atual, eu posso ir a uma delegacia registrar B.O. por ter presenciado um ato obsceno em via pública, independente de quem o esteja cometendo. Poderia, por exemplo, registrar um B.O. por injúria quando me desqualificam por ser mulher e heterossexual me chamando de "racha" em sentido pejorativo. Isso é o contrário da homofobia, praticam a "heterofobia" todos os dias e eu não fico de mimimi, porque conheço meu lugar no mundo. Então, se todos são iguais perante a lei, se um tipo de preconceito se torna crime, tipo contrário que lhe corresponde também deve se tornar. Me enfrentam toda hora por eu ter nascido biologicamente mulher e por gostar de ser mulher e de fazer coisas que mulheres fazem. Nasci criminosa, então, porque gosto de homem, é isso? Essa situação está beirando ao absurdo, além do que, gostaria que me respondesse: cadê a coerência de um socialista (falo da Genro e outros) que defende a comunidade LGBT, se nos países socialistas pelo mundo homossexuais são apedrejados, torturados, banidos, mortos, etc? Isso que ela prega faz parte de uma cultura LIBERAL, que prega o exercício pleno de direitos e liberdades individuais, que é de direita... você sabe me explicar onde está a coerência nisso?

Pra finalizar: tenho amigos gays, eles conhecem minha opinião, nos respeitamos e eles são mais conservadores do que vocês gostariam que eles fossem. Além do que, sabem que JÁ EXISTEM MECANISMOS LEGAIS para garantia de direitos civis, inclusive adoção de crianças. Lembrando, sempre, que "casamento" - que mudaram o nome para "união civil", nada mais é que um CONTRATO DE SOCIEDADE COM PARTILHA DE BENS. #FicaADica continuar lendo

querem nos fazer engulir o que uma minoria acha bom eu tambem falo o que eu penso e quero não existe uma lei me proibindo de me expressar tambem não vi apologia ao crime ..a maioria das pessoas ficam horrorizadas com que ele falou de pura inveja e medo de expressar-se
acorda povo nos não estamos numa ditadura ou militarismo e sim numa democracia todos somos iguais perante a lei ... todos temos o direito de pensar o que bem entender e de falar tambem continuar lendo

Concordo plenamente com o candidato Fidelix. Um cidadão pode sim ter sua opinião e expor ela. continuar lendo

O Autor do texto: "Leonardo Sakamoto é jornalista e doutor em Ciência Política. Cobriu conflitos armados e o desrespeito aos direitos humanos em Timor Leste, Angola e no Paquistão. Professor de Jornalismo na PUC-SP, é coordenador da ONG Repórter Brasil e conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão."

Amigos, inteligência, definitivamente, não é aferida por titulação acadêmica. continuar lendo

Depois de ler os comentários de alguns "BRILHANTES OPERADORES DO DIREITO" à respeito do tema, concluí algumas coisas:
1) Alguns deveriam voltar pra 4ª série primária e aprender algumas regras de pontuação, concordância e gramática.
2) Podemos tirar da Matriz Curricular das nossa faculdades de Direito a matéria chamada Direitos Humanos (parece que a maioria não entendeu e não aprendeu nada).
3) Alguns deles não sabe realmente o que é "ESTADO LAICO". Não é porque você tem a liberdade de crer na Bíblia, que todos são obrigados a crer. o estados foi feito pra tutelar o direito de todos, sem olhar maioria ou minorias. Casamento civil, é totalmente diferente do Religioso. Ninguém é obrigado a concordar com nada. Mas a respeitar sim. Coisa que não foi demonstrada pelo candidato no dia dos debates. Enfim, respeito todas as opiniões aqui escritas. Todavia, me entristece e decepciona ver que o Direito brasileiro anda jogado às traças. Sem mais. continuar lendo

Não adianta, meus caros. Estamos vendo todos os dias nas ruas a criminalização da opinião. A ditadura das minorias avança a passos largos, coberta pela cortina do "politicamente correto". A nós, resta propalar a opinião, doravante, nos cantos e em baixa voz, tomando cautela com quem nos ouve. Hoje o resultado é o repúdio público. Amanhã, as celas nos esperam. continuar lendo

Querida Veridiana Canas, você conquistou meu carinho e respeito.
Seu texto merece ser ecoado, principalmente CONTRA esta conspiração da minoria das minorias, que é o vil, barraqueiro, o oportunista que usa toda a massa de opiniões controversas para distrair e tomar o poder, e, como líder, descaracterizar o movimento LGBT, afundando ele na desgraça de ser o que é hoje. Sujo, anti-ético e de muito mal gosto. continuar lendo

Mais uma vez a culpa é da mídia que fica dando palco para algumas minorias em detrimento da maioria. Toda novelinha Mexicana da Globo tem um casal Homossexual. Ou uma família Negra que discriminada. A globo deveria se concentrar na educação tradicional. O telecurso é exibido às seis horas da manhã, "" a educação sexual"" de péssima qualidade é exibida no horário nobre. continuar lendo

“Vamos ter coragem! Nós somos maioria! Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los''. O que seria enfrentar a minoria meu caro?
“Vamos ter coragem! Nós somos maioria! Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los''. Isso é incitação a violência sim rapaz!

Agora coloca numa outra vertente, o que a minoria do grupo terrorista Estado Islâmico faz? Mostra para uma maioria que eles tem coragem, que enfrenta. Uma simples brincadeira com as palavras do "grande" Levy.

“Vamos ter coragem! Nós somos minoria! Vamos enfrentar essa maioria. Vamos enfrentá-los''. E o resultado disso são cabeças rolando pela internet e uma GUERRA declarada.

Os mais ignorantes encaram essas palavras proferidas pelo candidato como liberdade de expressão, os mais sensatos e militantes no Direito por essa tal igualdade prevista no artigo da Constituição da República veem isso como um ato contra a hora e discriminatório. Como você mesmo destacou nesse seu tosco comentário...

Art. TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI, SEM DISTINÇÃO DE QUALQUER NATUREZA, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, À IGUALDADE, À SEGURANÇA e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - e livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e as imagens das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material, ou moral decorrente de dua violação;

Como bem enfatizado por você, aqui é um site jurídico, e deves ter aprendido na faculdade que "o seu direito termina onde começa o meu" logo sabes muito bem que tal liberdade de expressão não é ilimitada, por tanto não podemos sair falando o que vem em nossa cabeça, afinal o decoro é para isso!

Então vimos que o Fidelix, violou o artigo 5º X da CR/88 e o artigo 140 "Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro" que estabelece uma pena de detenção, de 1 a 6 meses ou multa.

Tudo isso apenas para ressaltar que a opinião pode ser expressada, mas com o devido cuidado. Uma palavra mal dita pode ser o estopim para uma guerra! Abram os olhos meu povo, homofobia existe sim, a intolerância religiosa existe sim, racismo existe sim e a cada dia esta existência está mais latente na nossa sociedade. continuar lendo

Concordo plenamente com você Luiz Adriano Machado. Direito a opinião é LIVRE! Ninguém é obrigado a aceitar a opção sexual de outrem e tem o direito dizer que não concorda. continuar lendo

Meu deus do céu, o cara usou grupos terroristas para comprovar o argumento de que Fidélix falou em enfrentamento e combate de forma física.

Quem fala em enfrentamento são os próprios gays, ou você já esqueceu que naquele famigerado seminário LGBT um dos ícones falou que pegaria em armas se preciso for, para implantar a ditadura gayzista?

É muita hipocrisia e incoerência da tua parte, pode parar por aqui. continuar lendo

Assim como quem tem apoia o gay tem o direito de dizer o que pensa o que não apoia também tem, acho perfeitamente natural. Tenho bons amigos gays e não me posiciono contra os movimentos, todavia, respeito quem tem opinião contra. continuar lendo

Ótimo, Luiz, perfeito. Exatamente o q eu penso. Abs continuar lendo

A melhor opinião que vi a respeito desse assunto é do Sr. e creio que deve ser um digno Dr. Luiz Adriano Machado Metello Junior. Minhas congratulações pela excelente colocação a respeito desse assunto tão polêmico. Vejo um oportunismo eleitoreiro muito grande por trás dessa bandeira, porque hoje em dia nenhum político que falar o que pensa sobre o assunto para não "ofender" os homossexuais. Fidelix teve apenas a coragem que muitos não tiveram e não tem. O Brasil é o maior falso moralista que existe, e a juventude (sem opinião formada) está a mercê de "doutrinadores" que querem implantar na mente dos jovens uma liberdade que passa por cima dos direitos de outras pessoas. Quer dizer que seu não gosto de uma coisa eu devo ser considerado criminoso? Onde já se viu isso!?!? Se eu não gostar do seu carro eu serei carrofóbico??? Opinião de uma estudante que deve ter sido muito mimada pelas pais e não sabe respeitar a opinião dos outros. continuar lendo

Parabéns Luiz Adriano.
Dar opinião é crime desde quando? Já não da mais pra ouvir esse discurso de que ser homossexual é vitima e quem não concorda com eles é um criminoso, homofóbico. Na verdade eles é quem vivem taxando e rotulando os outros. continuar lendo

Falou o que a imprensa e esse segmento precisa ouvir. Não falou nenhuma mentira. Seria a mesma coisa do palhaço ficar irritado, por chamarmos o mesmo de palhaço. continuar lendo

ledo engano, Maria da penha não reduziu os crimes contra a mulher, o estatuto da criança e do adolescente na cumpriu e nem cumpre se papel, lei carolina Dieckmann não reduziu os crimes cibernéticos no que se refere a imagem da pessoas....

Lei contra homofobia, também não fará o que se pensa. chega de tanta lei, punição gera punição violência, violência. se quer corrigir eduque, se quer educar ensine.

Ninguém é obrigado a aceitar o que a maioria ou minoria pensam, gosta, escolhe ou pratica. apenas precisa-se que os dois lados se respeitem. o que no cenário atual de discussões não se vê. continuar lendo

Concordo, respeito não vem com lei! continuar lendo

Quando só uma das partes tem o direito de "manifestação", podemos bradar em alto e bom som que estamos vivendo uma ditadura.

Veja a reação de vários "setores" da nação, desproporcional, virulente e principalmente contrária a Constituição.

Eu não tinha decidido em quem votar, agora sim, Levy continuar lendo

É hilário ver ativistas equivocados bradando palavras de ordem que rebatem ódio com ódio.
Aonde?
Nas suas passeatas onde tudo mais é errado e desafiar sem requerer a menor consideração do tipo: "nós os respeitamos e exigimos respeito".
Eu apenas penso em cenas aberrantes que esses ativistas (não estou falando de homossexuais, haja vista alguns deles eu respeito muito, mas uma parcela extremista, que diz "que vai pegar em armas se for preciso").
O homossexuais são pessoas boas e dignas de respeito.
Os ativistas fazem orgias a céu aberto, provocam com cantadas, enfiam cacos de estátuas no ânus, exigem cotas em concursos, empresas e universidades, querem apagar o conceito de família tradicional, querem estimular a sexualidade em idades as quais o cérebro não está neurologicamente preparado.
Faltou muita coisa a listar, mas sei que nem homossexuais sérios apoiam a lista de reivindicações equivocada que querem.
Aí, não há quem não se revolte, não é mesmo?
E se revoltar é contra a Lei?
Dizer que não concorda é errado?
É óbvio que não. continuar lendo

Caro Carlos, concordo plenamente com você, o que ocorre é que está tendo uma confusão muito grande entre o que é respeitar e aceitar, os que defendem os direitos do Homossexuais querem obrigar que a sociedade os aceitem, enquanto o correto seria eles buscarem o devido respeito.

Assim sendo, a sociedade, eu, você que fazemos parte dela, temos que respeita-los, já aceita-los e concordar com seus atos, tem uma diferença muito grande.

Também sou contra qualquer violência, seja ela contra gays, crianças, negros, mulheres, pessoas, etc. Temos que respeitar a todos.

Agora por favor, não queira me obrigar a aceitar a pratica de alguns, que jamais aceitarei, e isso não quer dizer que sou homofóbicos, pois tenho amigos homossexuais que os admiro muitos. E eles conhecem muito bem minha opinião em relação ao tema.

Abraço. continuar lendo

Concordo plenamente. Acho que o respeito tem que vir dos dois lados ,nosso com os homossexuais e deles conosco . Agora tudo virou moda, tudo é motivo de racismo, homossexualismo e por ai vai. continuar lendo

caro Francisco, mas foi exatamente o que eu disse, concordo plenamente com você, veja o final do tópico onde eu disse:
Ninguém é obrigado a aceitar o que a maioria ou minoria pensam, gosta, escolhe ou pratica.
abraços. continuar lendo

Esse é o problema!

Tudo é homofobia! Tudo gera violência contra os homossexuais! Quem fala qualquer coisa contraria tem que ser presa! Se defender o outro lado você deveria ser preso por incitar atos de homofobia!

Tirando a linguagem esdruxula utilizada, discordo somente do final da fala "e bem longe da gente" (na verdade por me parecer mais como preconceito)

Não é lei que vai mudar as coisa (leia o comentário do Carlos Francisco da Paz neste post que muito bem ilustrou isto). Precisamos de EDUCAÇÂO e estou falando daquela que não se recebe na escola e sim daquela que você deveria receber em casa. continuar lendo

Resumidamente:

- Ser heterossexual para o homossexual é ser homofóbico. continuar lendo

O Sakamoto é um analfabeto funcional que só encontra ecos em suas investidas porque a discussão intelectual no Brasil foi abandonada há mais de 20 anos. O mote agora é discutir chavões: basta que um interlocutor sacar uma dessas palavras homofobia, racismo, preconceito e etc. que automaticamente a multidão de imbecis úteis se levantar para concordar e acreditar que a simples menção dessas palavras arrematou qualquer argumento.

E o pior, ele pede que pessoas que não concordam com a CONDUTA homossexual devem ser responsabilizadas, vejam só, pelos crimes contra os homossexuais.

Se for assim Sakabobo, então você é altamente responsável pelos 60 mil homicídios por ano no Brasil, já que seu discurso é de ódio as instituições policiais e de apreço, quase que platônico, pelos bandidos.

Esse pessoal formado na USP e no Campus Party tá difícil viu continuar lendo

É o direito de expressar.Tem que arcar com as consequências de suas falas. continuar lendo

Çacamoto é manifestante anti-PM???
Isso explica tudo, mais um imaturo manifestante sem causa justa.
Entendimento entre partes não dói.
Mas forçar a barra, leva tudo pro espaço.
Sem acordo, sem negociação, sem resultado. continuar lendo

Não apenas aqui no Brasil. Nos EUA, se você, como político, levantar a bandeira da "guerra ao terror" ou da "defesa nacional", você consegue apoio para qualquer coisa, seja uma lei que diminua os direitos dos cidadãos, um aumento dos impostos, ou uma insana campanha militar no exterior. continuar lendo